Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2016

A Blue Christmas.

Foi um Natal diferente.

Apesar de nunca ter partilhado esta época contigo, fisicamente, de alguma maneira sempre te fizeste presente.

Deixei de apreciar esta época como sempre o fiz, desde que te conheci. Passou a ser esta epoca, junto com as tuas férias de verão, as épocas do ano mais dificieis de suportar.

Ainda assim, "despediamo-nos" sempre na semana que antecedia o Natal.. Em jeito de marcar presença, de te relembrar que te amava, de te repetir como gostaria de estar contigo.. E depois das despedisdas feitas para o Natal e Ano Novo, recebia no dia um sms, simples e curto - Feliz natal - para mim era mais do que suficiente, nem que fosse para eu saber, que de algum modo tu tiraste tempo para o escrever, porque te lembraste de mim.

Lembro-me de passar o natal nostalgica por te imaginar em familia, em casas onde nao estou, em convívios em que nao pertenço.

De algum maneira eu tinha tudo, quando na verdade nao tinha nada! irónico....

Este Natal foi diferente, sem dúvida que sim. Nao me despedi de ti na semana que antecede o Natal, nao te ouvi, nao te relembrei que te amo, e nao te repeti vezes sem conta para te lembrares de mim na consoada, no dia de Natal, na véspera de Ano Novo e no dia 1 também. Restou-me apenas um momento para te desejar, politicamente correcto um Feliz Natal, junto das pessoas que mais amas, e que fossem festas recheadas de paz e saúde.

Enviei, como sempre o faço, ha alguns bons meses, sem esperar resposta. Mas vai-se lá saber porque, talvez porque o Espirito de Natal nos enche, mesmo aos que nao acreditem nisso, ou porque simplesmente quiseste, eu recebi, nada mais nada menos do que - Igualmente para ti -. :)

Tive de ler varias vezes para me certificar que era teu, li e reli as duas palavras, politicamente correctas, e enchi a alma de amor, aquele amor que não acaba, que esta adormecido, mas como sempre, basta um click e ele acorda... Arrisquei e perguntei - és tu mesmo? - não fosse o diabo tecê-las... e recebi de novo, - Sou eu-... Não houve mais respostas ou perguntas, mas de alguma maneira, pelos velhos bons golden years tu fizeste-te presente....

Não deixou de ser um blue Christmas.. sem a tua "presença", sem saber de ti, mas já foi alguma coisa.. qualquer coisa...

Thank you My Love!

 

Maria - A tua!

publicado por Maria às 18:56

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 5 de Dezembro de 2016

Na folha do papel .

Eu sempre gostei de português, de ler e tentar perceber entre linhas e frases invertidas, o que o autor queria transmitr, 

Era tão bom chegar ao fim de um texto ou poema e compreender mesmo o que ali estava escrito!

Sempre gostei, corrigo - adorei escrever, e achava que o meu gosto vinha mesmo por isso, por poder colocar em papel aquilo que nao tem tacto, que nao é fisico.. E modestia à parte ate achava que tinha queda pr'a coisa!

Com o passar dos anos, nós amadurecemos e as experiencias, boas e más, marcam-nos para a vida..A minha escrita, dos ultimos anos, reflete mesmo isso, meter em papel tudo o que vivi, tudo o que experienciei, e se até há bem pouco tempo fazia-o sem a noção do porquê de o fazer, hoje escrevo, sabendo a importancia que tem para mim, meter numa folha branca palavras e rabiscos que contam a minha historia: Medo! É por isso que escrevo, medo que a minha memória me atraiçoe, medo de me esquecer de certos promenores de momentos especiais, esses momentos nós não esquecemos, mas os promenores, os detalhes pequeninos... esses sim vão-se esvanecendo da nossa memoria...

E é então que surge a necessidade de transpor para o papel o que ainda nos lembramos, o que vai cá dentro do coração, no dia x à hora x...

Adoro folhear livros escritos de há alguns anos, e ler cada detalhe de certo dia, hora e local... a descrição das coisas como: roupa usada, o tempo sentido, os cheiros, a brisa do mar, o vento.. o que foi dito! caramba é tão bom, por momentos parar no tempo, frisar mesmo ali, e ser de novo transportada para o dia em questão. A exactidao da escrita faz-me reviver o que tenho na memoria e também o que ja perdi... e é tao bom voltar para os teus braços, ser  a tua menina de novo.. nem que seja só na folha de papel...

Sou meticulosa, sou perfeccionista, sou promenorizada e só assim é-me possivel te tornar ainda presente na minha vida, porque do coração tu nunca mais irás sair.

Eu fecho os olhos e consigo ouvir a tua voz, que tranquilidade traz-me a tua voz ! Mesmo quando relembro momentos menos bons, ou então quando te " metias" comigo, dizendo-me que :" tu és de uma raça!..... mas eu amo-te tonecas!"...

Eu nunca me vou esquecer de ti, do que me disseste, do que me fizeste sentir e viver, mas se algum dia a memoria me falhar eu sei que aqui, sem ser entre linhas e frases invertidas, te encontro, como te encontrei ha muitos anos atrás, onde eu ainda era a tua riqueza, a tua menina.

 

 

Maria - A tua!

publicado por Maria às 16:02

link do post | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. Quando tu Amas Alguém!

. Meu porto de abrigo!

. Eu lembro-me!

. Quando nos doí a alma.

. 2017 Resolutions....

. A Blue Christmas.

. Na folha do papel .

. Nova Paixão Versus Grande...

. Era bem mais fácil!

. Love Leters I

.arquivos

. Setembro 2017

. Maio 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Agosto 2016

. Abril 2016

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds